Avaliação do Novo Cruze Sport 6 LTZ

Novo Cruze Sport 6 LTZ

TESTE: CHEVROLET TRACKER 1.4 TURBO

Para 2017, a expectativa é bem mais modesta, apesar de ainda ser agressiva. A segunda geração do hatch médio da GM, que chegou pra valer nas autorizadas da marca no início de dezembro, quer desbancar o líder da categoria, Ford Focus, e vender mais de 450 unidades por mês em novembro. Com um motor 1.4 turbo flex e um visual completamente novo.

Logo quando a Chevrolet divulgou as primeiras imagens do novo Cruze, em janeiro de 2016, o que mais me impressionou foi a traseira. Parecia que o hatch estava com cara de compacto e que tinha perdido porte. Impressão! Ao vivo, a nova geração do Cruze faz sentido e é bonita, ainda que a dianteira seja a parte mais bem resolvida do carro.
Por dentro, o modelo é exatamente igual ao do novo Cruze sedã, o que deve agradar aos proprietários mais tradicionais. A cor creme, que está no painel e nas portas, faz sentido para o três volumes, mas o hatch médio deveria ter uma opção na cor preta. A única diferença no interior é o teto solar, de série só na versão LTZ do hatch.

Apesar disso, parte do painel e das portas têm um material de boa qualidade, que imita couro. Os detalhes cromados no painel, no console central, nas maçanetas e nas portas deixam o design do carro ainda mais refinado. A manopla possui acabamento em black piano. Todos os botões estão bem
posicionados e há um espaço pensando para colocar o celular, mas só se o seu não for dos maiores. A central multimídia MyLink 2 é rápida, intuitiva e fácil de usar.

Os pontos negativos ficam para as duas tampas da entrada USB, auxiliar e saída 12 volts, elas são feitas de plástico de baixíssima qualidade. O carregamento de smartphone por indução (sem fio) não funciona com a maioria dos aparelhos, é necessário comprar um adaptador na concessionária, caso o seu celular seja um iOS. Outro ponto negativo: não há muito espaço para guardar objetos dentro do carro, no painel central, são dois porta-copos, o espaço para o celular e um baú pequeno.

Comparada à geração anterior, a nova evoluiu, e muito. Se o 1.8 aspirado do modelo anterior sofria para lidar com o peso alto, o novo 1.4 turbo flex de até 153 cv tem fôlego suficiente. O único ponto negativo fica para a agilidade. Como a potência máxima surge só a 5.200 rpm, as respostas do acelerador
podiam ser melhores. Uma solução simples seria criar uma função Sport, que elevaria o giro do motor e deixaria o Cruze mais espero em retomadas, assim como acontece no Volkswagen Golf.

Avalização:
O novo Cruze hatch é gostoso de dirigir. Apesar de ser mais rígida do que a do sedã, a suspensão é bem calibrada, ou seja, a firmeza está longe de atrapalhar os ocupantes. O câmbio automático de seis marchas, o único oferecido pela montadora, é rápido e tem trocas suaves. O hatch também é
silencioso, a 120 km/h e na sexta marcha, o conta giros fica em 2.100 rpm. Segundo a etiquetagem do Inmetro, o consumo de etanol ficou em 7,6 km/l no trecho urbano e 9,3 km/l no rodoviário. No quesito espaço, o Cruze também dá conta do recado, apesar de ter o menor porta-malas entre os principais
rivais: são 290 litros de bagageiro, contra 316 litros do Ford Focus e 313 litros do Volkswagen Golf. Quem viaja no banco do passageiro dianteiro tem bastante espaço e viaja com conforto. O banco traseiro também possui um bom espaço, o duto central não é dos maiores. Só os botões dos vidros elétricos
traseiros que poderiam estar mais bem posicionados.

No dia a dia do trânsito, um aspecto incomodou e outro agradou em três dias de teste. Por estar muito perto do chão, a saia de borracha que fica abaixo do parachoque dianteiro raspa com facilidade ao entrar estacionamentos e garagens. Já a câmera de ré tem praticamente uma lente grande angular, que
funciona muito bem na hora de estacionar o Cruze. Em uma vaga de 45 graus, é possível inclusive ver se um carro irá passar, antes mesmo de começar a manobrar o carro.

Custo-benefício
Por R$ 101.190, o Cruze hatch vem bem equipado. De série na versão LTZ, tem airbag duplo, laterais e de cortina, alarme, encosto de cabeça e cinto de três pontas para todos os ocupantes, controle de tração e estabilidade, farol de neblina, luz diuna de led, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro,
isofix (sistema de fixação de cadeirinhas infantis), rodas de liga-leve de 17 polegadas, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, ar-condicionado digital, direção elétrica, assistente de partida em rampa, câmera de ré, chave presencial, controle de velocidade de cruzeiro, espelhos retrovisores externos elétricos, aquecidos e com rebatimento, retrovisor interno fotocromático, GPS, sistema de partida do motor pela chave, sistema start-stop, teto solar elétrico, duas tomadas de força 12V, MyLink 2 (com tela de LCD sensível ao toque de 8 polegadas), volante multifuncional e sistema de áudio com 4 alto-falantes e 2 Tweeters.

Vale a compra?

Sim. A Chevrolet acertou no novo projeto, o motor 1.4 turbo deu fôlego para o hatch médio, além de deixá-lo mais econômico. Na geração anterior, que possui motor 1.8 aspirado, o hatch faz 6,1 km/l na cidade e 7,1 km/l na estrada. Agora, são 7,6 km/l no trecho urbano e 9,3 km/l no rodoviário.
O interior possui materiais de boa qualidade e o espaço é bom. Conforto é a palavra de ordem. Joga contra ausência de alguns itens, como freio de estacionamento elétrico, ar duas zonas e aletas atrás do volante. Cruze Hatch chega ao Brasil com o valor previsto de R$ 89.990.

Ficha técnica
Motor: Dianteiro, transversal, 4 cil., 16V, comando duplo, turbo, injeção direta, flex
Capacidade: 1.395 cm³
Potência: 153/150 cv a 5.200 rpm
Torque: 24,5/24 kgfm a 2.000 rpm
Câmbio: Automático de 6 marchas, tração dianteira
Direção: Elétrica
Suspensão: Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)
Freios: Discos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)
Pneus: 215/50 R17
Comprimento: 4,45 m
Largura: 1,80 m
Altura: 1,48 m
Entre-eixos: 2,70 m
Tanque: 52 litros
Porta-malas: 290 litros (fabricante)
Peso: 1.306 kg
Consumo cidade: 7,6 km/l (Inmetro, com etanol)
Consumo estrada: 9,3 km/l (Inmetro, com etanol)

Fonte: http://revistaautoesporte.globo.com/Analises/noticia/2016/12/teste-novo-chevrolet-cruze-sport6-ltz.html

Leave a Comment

Facebook Login